5 Dicas para Trabalhar a Partir de Casa

You are currently viewing 5 Dicas para Trabalhar a Partir de Casa

Hoje decidi partilhar consigo um pouco da minha experiência dando-lhe 5 dicas para trabalhar a partir de casa. Já há alguns anos que o faço, algumas vezes por vontade própria, outras por força das circunstâncias, num percurso que devo admitir que nem sempre foi fácil. Sinto-me, portanto, muito solidária com todos aqueles que nestes dias, um pouco por toda a Europa e por todo o mundo, não estando habituados e não tendo outra escolha, se veem, de repente, em regime de teletrabalho. 

Neste momento estamos todos a ser incentivados e estamos todos a dar o nosso melhor (quero acreditar nisso!) para seguir as indicações que nos são dadas pelas autoridades de saúde e pelos governos em toda a Europa. No entanto, ver-se em casa de um momento para outro, e ter que fazer o trabalho que até há poucos dias ou horas era feito num escritório ou local de trabalho “tradicional,” pode ser um desfio e tanto para algumas pessoas. 

Espero conseguir, assim, contribuir para ajudar alguma coisa nesta nova situação que, embora sendo temporária, por força nos vai obrigar a repensar os nossos modos de trabalhar até hoje. Salvaguardo, mesmo assim, que é minha opinião que devemos todos estar conscientes que na realidade o teletrabalho não é possível em todas as funções ou realidades profissionais e tudo depende muito do trabalho que se faz. 


Neste Artigo: 


5 dicas para trabalhar a partir de casa para quem não está habituado a trabalhar em regime de teletrabalho.
Trabalhar a partir de casa é um desafio que exige equilibrar entre família e espaços domésticos e tarefas profissionais e espaços de trabalho.

#1 – Prepare-se em casa como se fosse trabalhar fora de casa

Para que o seu ânimo e motivação se mantenham em bons níveis, não fique de pijama o dia todo só porque está em casa!  

Se não tem empenhos com videochamadas, pode colocar uma roupa mais confortável, mas o aconselhado é sempre vestir-se como se fosse trabalhar lá para a empresa. Vá lá…pode colocar uns sapatos um pouco mais confortáveis, se assim o desejar, mas evite estar com roupa que contribua para se lembrar constantemente que está em casa. 

Isto ajuda mentalmente a entrar em “modo trabalho” e é importante para nos sentirmos mais confiantes no desempenhar de tarefas profissionais, mesmo estando em casa. 

Portanto, siga a sua rotina matinal e de higiene como sempre, vista-se e esteja pronto(a) para trabalhar como normalmente faz. Talvez a única maior diferença será que durante este período não terá que conduzir ou apanhar um transporte para ir para o seu local de trabalho de sempre. 

#2 – Procure ter um espaço em casa só para trabalhar 

Isto não será possível para todos, pois depende muito da casa em que vivemos e do espaço que temos disponível. 

Se já tem um espaço tipo “escritório”, use-o. Senão escolha um local em casa onde possa deixar o seu material de trabalho mais ou menos sempre na mesma zona e pronto a ser utilizado. 

No caso de ter a família inteira em casa, e cada um precisar de espaço para trabalhar (ou estudar) negoceiem espaços conforme o que for mais adequado e necessário para cada caso. Sejam flexíveis e respeitem o espaço escolhido para cada membro da família. Afinal, todos temos forma de nos organizar e trabalhar diferentes, e é importante que isso seja compreendido e respeitado. 

Uma vez escolhido o espaço, esforce-se por manter o seu novo local de trabalho limpo, arejado e organizado. As indicações de saúde atuais são também no sentido de se manter teclados, ratos, telemóveis e telefones devidamente limpos e desinfetados

O único conselho, por motivos de saúde do sono e de higiene, é que faça o que fizer e os seus familiares também, não trabalhem ou estudem na cama ou em cima da cama. Segundo vários estudos que me chegaram às mãos sobre este tema ao longo dos anos, para um bom descanso do organismo (e, por consequência, para o reforço do sistema imunológico), é importante e aconselhado, separar o local do sono das atividades de virgília. 

Tudo isto vai ajudar a que tenha o ambiente de trabalho separado, dentro do possível, do ambiente familiar. E é um contributo para não andar sempre a mudar as coisas de sítio e arrumar tudo cada vez que tem que iniciar ou terminar o seu período de trabalho. Também é um ótimo truque para não perder papéis, post-its ou outro material que seja importante: fica tudo sempre no mesmo lugar. 

Se tem animais de estimação, treine-os para não andar a “mexer” no seu material de trabalho e a ficar tranquilos, mesmo que perto de si, quando tem que trabalhar. Isto pode ser complicado nos primeiros dois ou três dias… 

#3 – Estabeleça horários equilibrados: não caia em exageros

Estando em casa é muito fácil “esquecer os horários,” tal como é muito fácil misturar tarefas de casa com tarefas laborais. Acredite em mim, você vai olhar em volta de vez em quando e ver tantas coisas por fazer em casa. Vai ter a tentação de querer fazer pausas longas para limpar, cozinhar ou adiantar qualquer outra coisa que necessite. O segredo para resistir é: organize-se

Pense que se está em casa, isso significa que já poupou tempo em deslocações de e para o seu local trabalho. Se quer, utilize o tempo em que iria estar a deslocar-se para completar essas pequenas tarefas domésticas.  

Por outro lado, tente cumprir o seu horário de trabalho conforme as tarefas profissionais que tem que completar nesse dia. Para algumas pessoas, estar em casa a trabalhar significa um aumento da sua produtividade. Ora produtividade não quer dizer fazer muitas coisas, mas antes fazer o que é necessário, quando é necessário. Por vezes as tarefas podem ser simples, outras vezes, podem ser complexas. Depende do que tem em mãos.  

Na prática, o que lhe estou a tentar dizer é que trabalhar de casa significa que há dias em que se consegue fazer todas as tarefas do dia e cumprir os objetivos em relativamente pouco tempo, enquanto que há outros dias em que as horas de trabalho normal não vão chegar. Procure não stressar por causa disso. Embora provavelmente o seu patrão ou os seus clientes vão exigir que esteja disponível num determinado horário cada dia, a sua organização do trabalho em casa, de forma autónoma, poderá ser um pouco diferente dos horários que está habituado(a) (para menos, ou para mais, dependendo dos dias). 

Então a palavra de ordem é: equilibrar. Não caia no exagero de deixar de fazer o seu trabalho para prestar atenção à casa e à família, mas também não faça só e apenas o seu trabalho e deixe de prestar atenção ao resto. Por vezes, um truque que funciona é estabelecer uma hora para começar (sempre a mesma), e uma hora limite para parar de trabalhar em cada dia, em que, para além dessa hora, a menos que seja uma tarefa que não pode ser adiada ou “partida”, você pára e recomeça, com a cabeça e os olhos frescos, no dia seguinte. 

Se o seu trabalho nunca lhe exigiu estar disponível fins-de-semana, também não é aconselhável começar a fazê-lo só porque está em casa. 

No que toca às refeições, não sei se terá tempo para cozinhar durante o dia. O truque é, mais uma vez, organizar-se. Quando faz o jantar, por exemplo, pode já preparar o necessário para o almoço. Outras pessoas, cozinham ao fim-de-semana e congelam as doses para durante a semana, pelo menos ao almoço, só precisarem de descongelar e aquecer os pratos já preparados previamente. Senão, dentro das medidas de segurança e recomendações em vigor, terá que encomendar almoço nos dias de trabalho. Veja o que funciona melhor para si e para os seus, tendo em conta que aqui falo em cozinhar porque pode ser necessário, já que a qualquer momento podemos não ter a oportunidade, durante um período, de ir comer fora. 

Muito importante também será não cair na armadilha das redes sociais ou acender a televisão “para companhia.” Muito menos deve cair na armadilha, neste momento, de estar constantemente a consumir notícias. Isso deve ser reservado para os tempos livres, pois são enormes sorvedouros de energia e de tempo, o que contribui para baixar a produtividade, a concentração e é o melhor modo de cair numa espiral de “nunca mais acabo isto” ou “tenho isto tudo tão atrasado.” Por outro lado, a nível mental e emocional o resultado de ceder a essas “tentações” poderá não ser aquele que você imaginava, com os níveis de desmotivação e ansiedade a aumentar sem motivo em momentos que precisa de estar calmo(a). 

#4 – Converse com os outros membros da família para uma organização conjunta 

Esta é uma dica que é particularmente útil se houver necessidade de estarmos todos em quarentena obrigatória, pois isso significa estar toda a gente em casa (sem escolha) e adaptações às rotinas de todos nós. Confesso que também uma situação dessas não é normal para quem trabalha já a partir de casa, pois não poder sair a menos que seja estritamente necessário, é algo anormal para todos nós. 

Muitas pessoas que trabalham de casa estão habituadas a pegar no computador de vez em quando e ir para cafés, bibliotecas ou locais de coworking trabalhar. Numa situação excecional de quarentena e limitações, isso poderá já não ser possível por um momento. Por outro lado, todos nós estamos habituados a sair para o que necessitamos sem restrições, ou apenas sair para descansar e “arejar.” 

Por tudo isto, numa situação em que seja necessário estarem todos em casa, ou em que apenas um dos membros da família tenha que ficar em casa de improviso, conversem em família sobre a logística e necessidades que vão ter para que tudo corra pelo melhor. Conversem sobre o modo de se reorganizarem e de organizarem os espaços, tendo em conta que é importante ter momentos e espaços para trabalho, mas também tê-los para estar em família, para ter momentos de lazer caseiros ou até para fazerem, por exemplo, exercício físico.

É bom incluir as crianças da casa (que já tenham idade suficiente para tal) na conversa e ouvir também as suas ideias, sem criar stresses ou ansiedade: é uma forma de as consciencializar para eventuais regras de segurança e para a importância de se manterem todos unidos e ajudarem uns aos outros, ao mesmo tempo que se reduzem eventuais medos ou dúvidas que possam derivar de situações extraordinárias. 

Nesta área é tudo uma questão de bom senso, união, respeito e boa comunicação em família. 

#5 – Tente ter, dentro do possível, os instrumentos de trabalho de que necessita

Como é que você trabalha sem meios para tal? Não trabalha… Os trabalhadores freelancer normalmente asseguram grande parte dos seus instrumentos de trabalho (computador, telefone/telemóvel/smartphone, tablet, ligação à internet, impressora em caso de necessidade, etc.), mas quem não tem contratos de trabalho que contemplem esta opção de trabalhar a partir de casa, pode nem sempre ter ao seu dispor os meios e instrumentos que necessita. 

Neste caso, o meu conselho é para que fale com a sua entidade patronal e discutam as tarefas que pode (ou não) fazer a partir de casa, os meios e instrumentos que serão necessários e como é que a empresa pode ajudar/contribuir para que nada falte. Afinal você trabalha por conta de outrem, normalmente em instalações e com material que não são seus e isso não significa que é obrigado(a) a ter em casa material de escritório, computador, smartphone para trabalho e/ou ligação à internet. 

O importante acima de tudo isto neste momento tão delicado que todos atravessamos, é sermos responsáveis e atentos, e manter-mo-nos todos com saúde e em segurança. Juntos vamos conseguir ultrapassar também este enorme desafio. Força aí! 

5 1 vote
Article Rating
Subscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments